22.12.05

Se tu viesses ver-me...(Se voltar cedo)

"Se tu viesses ver-me hoje à tardinha,
A essa hora dos mágicos cansaços,
Quando a noite de manso se avizinha,
E me prendesses toda nos teus braços...

Quando me lembra: esse sabor que tinha
A tua boca... o eco dos teus passos...
O teu riso de fonte... os teus abraços...
Os teus beijos... a tua mão na minha...

Se tu viesses quando, linda e louca,
Traça as linhas dulcíssimas dum beijo
E é de seda vermelha e canta e ri

E é como um cravo ao sol a minha boca...
Quando os olhos se me cerram de desejo...
E os meus braços se estendem para ti..." *

Florbela Espanca
* Um lindo poema para um dia mto especial.

4 comentários:

Tatiana Rocha disse...

Que lindo Eliz...seja lá pelo que for, parabéns! O amor é lindo mesmo e vem nas horas inesperadas, tem um cronometro ancestral, não é mesmo? Beijs

Maurício Melo disse...

Ô Aderbal, deixa de ser mulherzinha e conta mais histórias do Rio de Janeiro! Já esqueceu, foi?

Eliz disse...

Falta de tempo, Mauzim..mas vou escrever sim.

Eliz disse...

Esqueci de comentar "Cronometro ancestral" putzzz, Tati e seus comentários chiquérrimos = seu blog..adoro isso! Xero.